02 agosto, 2009

Providência e poesia...

As grandes navegações. Obra da providência!


I. O INFANTE

Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.
Deus quis que a terra fosse toda uma,
Que o mar unisse, já não separasse.
Sagroute, e foste desvendando a espuma,


E a orla branca foi de ilha em continente,
Clareou, correndo, até ao fim do mundo,
E viu-se a terra inteira, de repente,
Surgir, redonda, do azul profundo.


Quem te sagrou criou-te português.
Do mar e nós em ti nos deu sinal.
Cumpriu-se o Mar, e o Império se desfez.
Senhor, falta cumprir-se Portugal!

Fernado Pessoa.

Para mim esta poesia é uma eloquente exposição da verdade da providência Divina...
É incrível como a poesia consegue expressar em uma simples frase o que os teólogos gastam livros tentando explicar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário