15 março, 2010

A Queda!!


P. 13. Conservaram-se nossos primeiros pais no estado em que foram criados?
R. Nossos primeiros pais, sendo deixados à liberdade da sua própria vontade, caíram do estado em que foram criados, pecando contra Deus.
Ref. Rm 5.12; Gn 3.6.

“Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram.”Comentário: As Escrituras ensinam que os nossos primeiros pais não conservaram o seu estado natural de santidade, cometeram pecado. Violando assim a aliança da obediência que Deus havia estabelecido com eles. Este ensino ficou conhecido como a doutrina da queda. E é ele que a grande assembléia de Westminster se propõe a elucidar. Para entendermos o que eles disseram vamos analisar um pouco os termos que estes homens usaram em sua formulação:

“Nossos primeiros pais”- Se refere ao gênero humano antes da queda. Muita controvérsia tem surgido nos últimos tempos sobre este assunto, mas é seguro dizer que Adão e Eva literais são o que esta na mente da Assembléia ao cunhar esta expressão. Seria o casal primordial que Deus criou com propósito de O glorificar. Colocando Adão como representante da aliança da obediência por ele estabelecida para isto ele plantou a “arvore da ciência do bem e do mal”, e ao lado dela a “arvore da vida” ordenando ao homem não comer do fruto da primeira arvore e permitindo que o homem comesse livremente de todas as outras.

“Liberdade da sua própria vontade” – Nossos primeiros pais foram criados com condições de obedecer e permanecer da forma em que foram criados, mas mutavelmente poderiam desobedecer e decair do estado em que se encontravam o que de fato aconteceu. A confissão chamou esta liberdade da vontade de livre arbítrio e para eles livre arbítrio é a capacidade de agradar a Deus por meio da obediência. O misterioso é que mutavelmente o homem poderia decair desta condição e foi o que aconteceu.

“Caíram do estado que foram criados”-Trata-se da queda, o homem desobedeceu deu ouvidos ao tentador “a serpente”, e se foi arrastado e seduzido por sua própria cobiça interior de “ser como Deus” o resultado foi à queda de um estado de inocência e santidade original, para um estado de corrupção, depravação e miséria para eles e para todos os seus descendentes. Com implicações para toda a criação. Por esta razão o homem perdeu completamente a sua capacidade de agradar a Deus perdeu o seu livre arbítrio. Hoje o homem está num estado de “depravação total”.

“Pecando contra Deus” – Eles pecaram contra Deus e por isto, se tornaram merecedores da morte. Não somos capazes de avaliar o peso de um único pecado, mas sabemos que ele tem implicações eternas. Só em Cristo há esperança para o homem, pois todos pecaram e carecem da glória de Deus. Soli Deo Glória

Manoel Delgado

Nenhum comentário:

Postar um comentário