17 março, 2012

Ainda o padre Paulo Ricardo e as hostes da difamação. Ou: “Ou falem ou se calem”


Da mesma forma como eu reprovei a abordagem do referido padre com relação aos evangélicos.  Agora eu preciso publicamente expressar o meu assentimento as colocações pertinentes de Reinaldo Azevedo sobre a perseguição injusta que o mesmo ministro está sofrendo por posicionar-se sobre temas relevantes em favor da vida e da família. 

Ainda o padre Paulo Ricardo e as hostes da difamação. Ou: “Ou falem ou se calem”



Escrevi na sexta-feira um post sobre a perseguição covarde ao padre Paulo Ricardo. O texto está aqui. Deixei claro, inclusive, que não concordo com todas as suas opiniões, análises e abordagens. E daí? Sei reconhecer uma perseguição quando diante de uma — e é o caso. Alguns leitores me advertem: “Cuidado! O padre é polêmico!”. É? E daí? Já fui chamado de “polêmico” também simplesmente porque não conseguem um bom contra-argumento. Esse adjetivo é uma gaveta: cabe tudo nele.
Falo sobre o que vejo e leio. A carta em que pedem a cabeça do padre é uma das coisas mais pusilânimes em que já pus os olhos, inclusive por causa da covardia cínica: pedem que seu sacerdócio seja suspenso e que ele seja afastado do ensino, mas o fazem com uma linguagem muito pia, sugerindo que é para seu bem. Se Paulo Ricardo cometeu algum erro, não apareceu naquela carta.


Por Manoel Delgado

Nenhum comentário:

Postar um comentário