17 dezembro, 2012

Paris: a festa continuou.




Durante a segunda guerra mundial mesmo apos a ocupação nazista, a vida cultural, artística e acadêmica de Paris continuou, com o apoio e a adesão de sua elite intelectual e artística ao novo regime.

 Alan Riding autor de uma instigante obra de mesmo nome faz revelações surpreendentes sobre esse momento crucial da história contemporânea. Entre o heroísmo da resistência, muitas vezes pago com a vida, e a adesão (por convicção ou oportunismo) ao ideário nazista, os franceses adotaram as mais variadas posturas no período, durante o qual teatros, cabarés, cinemas e salas de concerto continuaram repletos e animados.


Misto de crônica do cotidiano e história das mentalidades, o livro de Riding descreve a complexa rede de relações perigosas entre os intelectuais e os ocupantes alemães. A perseguição aos judeus; a guerra ideológica entre a imprensa colaboracionista e as publicações clandestinas; a penúria da maioria da população em contraste com a boa vida da elite, abastecida pelo mercado negro; as hesitações, ousadias e contradições de artistas e escritores como Picasso, Sartre, Marguerite Duras, Céline e Camus; tudo isso e muito mais desfila por estas páginas.

A pergunta que a obra traz implícita, nesta historia e como as pessoas podem manter as suas rotinas e aceitando passivamente atrocidades como as do nazismo, e mantendo um silencio inexplicável.  O constrangimento gerado apos a queda do nazismo e da libertação de Paris foi tao grande que alguns dos personagens mais ilustres da Franca contemporânea tentaram arrancar ao longo de toda a sua vida o desconforto de estarem a vontade demais num regime tirânico servindo ao invasor.   

Ao tomar conhecimento desta obra extraordinária, numa entrevista com autor, exibida no Programa do Jô Soarez fiquei profundamente impactado com a realidade bíblica de que a verdade sempre vem a tona.  E as motivações do coração sempre serão reveladas no tempo devido  assim as nossas atitudes serão julgadas nesta vida e na futura. 

Pois como bem ensinou o Senhor Jesus: 

Não há nada escondido que não venha a ser descoberto, ou oculto que não venha a ser conhecido. Lucas 12:2 


Nenhum comentário:

Postar um comentário