27 fevereiro, 2013

Da Conversão a Missão?



Da Conversão a Missão?
A crise da falta de transmissão da fé.

Por Manoel Delgado Jr.

O cenário evangélico brasileiro é caracterizado por abundante e superficial evangelização, rápida ascensão eclesiástica, e pouco ou nenhum discipulado. O resultado é a ascensão de lideranças despreparadas, suscetíveis aos mais diversos equívocos de ordem teológica e pratica, que sendo colocadas repentinamente no front da missão, tombam para muitas vezes não se levantarem mais.

Possuímos um exercito de convertidos, que são órfãos espirituais, que por sua vez produzem uma geração de lideres despreparados, resultando ao final em uma multidão de quebrados, falidos, machucados e desiludidos.

Por outro lado, as igrejas históricas, oriundas do protestantismo de missão, que possuem tradição teológica, preparo intelectual, e processos de desenvolvimento da maturidade crista, são caracterizados por uma escassa evangelização, por um tradicionalismo paralisante, e por um espirito sectário e hostil que mais afugenta do que atrai lideranças e membros.

Assim o Corpo de Cristo no Brasil padece pela falta de equilíbrio, e pela polarização dos dons em determinados segmentos evangélicos. Onde existe ensino míngua a evangelização e onde existe evangelização repudia-se a teologia.

Com este divorcio entre a evangelização e o discipulado, sucumbe a missão, pois esta passa a ser constituída por despreparados que vão, e preparados que não irão.

Não tem faltado faltado a igreja os dons necessários, para o exercício da missão, porem, temos perdido a percepção bíblica de que somos um só povo, onde todos os dons são necessários para edificação do corpo de Cristo.       

E ele deu uns como apóstolos, e outros como profetas, e outros como evangelistas, e outros como pastores e mestres, tendo em vista o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, ao estado de homem feito, à medida da estatura da plenitude de Cristo;  para que não mais sejamos meninos, inconstantes, levados ao redor por todo vento de doutrina, pela fraudulência dos homens, pela astúcia tendente à maquinação do erro;  antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo,  do qual o corpo inteiro bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, efetua o seu crescimento para edificação de si mesmo em amor. Efesios 4:11-16 


Nenhum comentário:

Postar um comentário