28 dezembro, 2015

NATAL: QUANDO O INFINITO SE FAZ PRESENTE.

NATAL: QUANDO O INFINITO SE FAZ PRESENTE.
“E o seu nome será: Maravilhoso conselheiro, Deus forte, Pai da Eternidade, Príncipe da paz.”
“Infinito (do latim infinítu, símbolo: ∞) é um adjetivo que denota algo que não tem início nem fim, ou não tem limites, ou que é inumerável. É também um nome que representa o que não tem limites. Usado em sentido figurado pode significar Deus, o Absoluto ou o Eterno. [1] É um conceito usado em vários campos, como a matemática, filosofia e a teologia. É representado com o símbolo ∞, e na matemática é uma noção quase ­numérica usada em proposições. Distingue-­se entre infinito potencial e infinito atual. O infinito pode ser visto de muitas perspectivas. A intuição percebe ­o como uma espécie de "número" maior do que qualquer outro.”
(1) A noção do infinito na matemática se refere ao limite da linguagem e da lógica para referir-se ao real. Os paradoxos que o seu estudo despertou ao longo do tempo demonstram o quão frágeis são as nossas tentativas de compreender o mistério profundo da vida, da existência e do significado. (2) A percepção popular do infinito está associado a alguma realidade que não conseguimos compreender, apreender, para além de nossa imaginação. (3) No sentido teológico reconhece-se em Deus o atributo da infinidade. Deus é o criador de tudo o que existe e ele mesmo é para além da Criação, o Deus eterno, onipotente, onisciente e onipresente. Um Deus infinito é muito maior do que a nossa linguagem e compreensão.
O natal celebra um mistério ainda maior; Em Jesus o infinito se faz presente: Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o governo estará sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai Eterno, Príncipe da Paz. Do aumento do seu governo e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para o estabelecer e o fortificar em retidão e em justiça, desde agora e para sempre; o zelo do Senhor dos exércitos fará isso. Isaías 9:6,7
No natal celebramos a realidade extraordinária de que o menino que nasceu é na verdade, o Pai da eternidade, o Deus forte, o maravilhoso conselheiro e o príncipe da Paz. Na encarnação celebramos o mistério do amor de Deus por nós, revelado na revelação de Jesus Cristo. Ele é o Alpha e o ômega, o princípio e o fim ele é o eterno visitando a história, o infinito que se faz presente para salvar. Pastor Manoel Delgado Júnior.


Nenhum comentário:

Postar um comentário